Você já pensou que as vezes ficamos tão preocupados em saber como as coisas funcionam, ou como devemos nos comportar, nos sentir, quais referências devemos usar na vida, como lidar com as situações difíceis, como gerenciar nossa energia…

Mas quer saber de uma coisa? Ninguém nem sabe como viemos parar aqui.

De repente seus pais namoraram e você nasceu, eles não sabem ao certo como fizeram você, célula por célula e como os órgãos ocuparam os espaços devidos e agora todo esse sistema lindo e complexo funciona, e você também não tem idéia de como mantém tudo isso, como faz sua digestão, como consegue energia para mover os músculos ou como realiza processos complexos de reprodução celular e tudo mais. Além disso não somente você existe, mas todo um sistema conectado da natureza, com ciclos da água, da lua, e vários outros sistemas da natureza que parecem ser interdependentes e parte de um contexto maior extremamente inteligente…

A vida simplesmente acontece, e vem acontecendo há muito tempo é claro…
Nós conseguimos ver algum certo tipo de resultado da vida, pois observamos ao nosso redor, mas estamos em um processo que não entendemos direito, não sabemos de onde viemos realmente, qual a origem e o motivo disso tudo acontecendo, qual o motivo da vida como um todo existir, ou qualquer outro grande mistério do universo.

Os religiosos resolvem essa equação atribuindo todos os sentidos e motivos aos interesses de Deus, e isso faz muito sentido até certo ponto, concordo plenamente com a possibilidade de uma inteligência maior, interesses maiores e um ritmo maior que toca isso tudo (esta pode ser uma representação do Deus onipresente e onipotente), porém, sinto que no próximo passo os religiosos pisam na bola quando personificam Deus a figura limitada do homem, e projetam seus interesses pessoais do ego nos interesses de Deus como se fosse um homem sábio de barbas brancas, como se os humanos fossem a razão de tudo o mais que existe no universo, e os interesses de Deus coincidentemente muito semelhantes aos medos e interesses dos líderes políticos e religiosos, com muito conservadorismo e culpa aos demais, logo alguns se vendem como representantes de Deus.

O grande problema das religiões é esse: eles começam até bem, ensinando como tudo provavelmente funciona, aproveitam uma percepção das dinâmicas do universo, os padrões da natureza que realmente existem, e acabam distorcendo e manipulando esses ensinamentos com seus interesses pessoais, se sentem no privilégio de fazer isso, e as vezes nem percebem que estão fazendo. Existe uma armadilha nisto, pois, quando você está aprendendo algo, se estiver diante de algo que é totalmente estranho e mentira, ficará desconfiado e não dará mais ouvidos ao professor (estará protegido), porém se o professor conta várias verdades, você começa a dar crédito e confiança,  e poderá ser uma vítima fácil quando no meio das verdades ele te ensinar valores com o intuito de te manipular, gerar medo e culpa, pois você estará sem critérios para avaliar por conta própria, afinal você ouviu uma, duas, três verdades e acreditou que aquela pessoa só fala verdade, e ainda por cima as verdades que eles dizem parecem ser as mais importantes do universo, afinal, ele tem uma afinidade com Deus, o criador, a partir disso você precisará do professor para se livrar da culpa, e isso estará em um nível tão profundo do seu inconsciente que você não perceberá a manipulação.

Mas voltando a compreensão… Se nós vivemos nessa grande empresa chamada universo e não sabemos ao certo como ela começou ou porque ela existe, então por que se estressar?

É como se você simplesmente acordasse contratado em uma grande empresa, você não sabe como foi parar ali, não sabe qual o grande propósito dessa empresa mas com o passar do tempo vai identificando algumas atividades que pode realizar no seu trabalho... recebe algumas instruções, faz cálculos, utiliza ferramentas, constrói algumas peças, gera relatórios, participa de reuniões, com o tempo você até pára de se questionar o porquê está ali ou no que tudo isso vai dar, na vida, muitas vezes nem temos a chance de iniciar esse questionamento.

Na próxima vez que ver pessoas tão cheias de razão sobre a vida, lembre-se que ninguém nem sabe como viemos parar aqui… Então, sem uma referência tão clara a respeito do início e do motivo, como ter tanta certeza do restante…

Imagine você fazendo parte de uma empresa que não conhece muito bem porque ela existe ou como começou, talvez você passe muito tempo preocupado com os processos diários, e até mesmo preocupado com alguns gerentes que "parecem" entender o porquê estão dando instruções, mas talvez eles só queiram um pouco de vantagem sobre você parecendo autoridades, mas no fundo eles também não entendem o porquê eles estão ali, só aprenderam na tentativa e erro que podem ganhar algo sobre você se você acreditar neles.
Bem, talvez depois de um tempo trabalhando nessa empresa, você perceba que se preocupou demais com os processos, pois descobriu que o grande propósito dessa empresa na verdade era X (e X é um mistério até descobrir) e ninguém estava consciente disso ainda…

Esse grande propósito X pode ser uma de inúmeras possibilidades, mas perceba como todo o resto (processos, paradigmas, pensamentos, etc) pode se tornar irrelevante ou insignificante, de acordo com a mudança de percepção do grande propósito X.

Isso também não precisa ser um motivo para nos desmotivarmos com a vida.

Quem disse que precisamos de motivos tão claros para viver?

De certa perspectiva, os outros animais parecem viver muito melhor que nós, tranquilos, curtindo suas existências, buscando alimento, sobrevivência e reprodução. É como se bastasse seguirmos nossa intuição e fazer aquilo que nos sentimos bem.

Acredito que o melhor é continuarmos fazendo o nosso melhor com o que temos, continuarmos na medida do possível aprendendo e evoluindo (curtindo o processo, sem peso e sem cobrança), quem sabe até descobrimos um pouco mais de onde viemos ou porque estamos aqui, mas enquanto isso o melhor mesmo é relaxar e não levar nada disso tão a sério… Afinal, ninguém nem sabe como viemos parar aqui…